“Eu, Juíza” apresenta mais uma magistrada

Esta semana, apresentamos “EU, Tatiana, JUÍZA”, uma continuação da ação desencadeada pela Diretoria da Mulher Magistrada da AMAMSUL.   Com um trabalho reconhecido na área criminal, ela vem se destacando na comarca de Coxim pelo apoio a ações que permitam a reinserção de presos na sociedade. Conheça a magistrada.   Tatiana Dias de Oliveira Said   1) Qual a data de seu ingresso na magistratura?   Em 16 de agosto de 2006.   2) Está em exercício ou já se aposentou?   Em exercício na Vara Criminal, Infância e Juventude da Comarca de Coxim.   3) Como foi sua posse?   Foi um momento gratificante, estavam presentes familiares e amigos. Éramos 13 juízes empossados, 10 homens e 3 mulheres.   4) Como foi seu primeiro dia de juíza?   Durante o curso de formação, coadjuvamos em Campo Grande. Após, fui designada para atuar na comarca de Porto Murtinho, onde fique por um ano, como juíza substituta. Estava sozinha. Não teve discurso. Já cheguei trabalhando.   5) Qual foi seu dia mais feliz de magistrada?   Foram vários. Após alguns meses, depois de prolatar uma sentença condenatória, por estupro de vulnerável, recebi a visita das vítimas, duas irmãs pré-adolescentes, que foram agradecer e me disseram que só agora poderiam “recomeçar a vida, voltar para a escola e não serem mais chamadas de mentirosas, pois a juíza tinha acreditado nas palavas delas”.   6) Qual foi sua ação mais significativa, ou sua decisão mais marcante da qual se orgulha?   Ter auxiliado na implantação da Família Acolhedora e na celebração do convênio entre a Prefeitura e a Agepen, para oportunizar trabalho aos reeducandos do estabelecimento prisional de Coxim, e atualmente trabalhar nos processos e ações de conscientização e prevenção da violência contra a mulher.   7) O que mais a comoveu na atuação como juíza?   São persas mazelas, mas os crimes sexuais contra vulneráveis são os que mais me comovem.   8) Qual seu sonho de magistrada?   Menos desigualdade social e igualdade de gênero, raça e persidade.   9) O que gosta de fazer no tempo livre?   Viajar, ler e dançar.   10) Qual seu desafio pessoal e/ou profissional mais relevante?   Conciliar tantas funções: ser mãe, magistrada e mulher.   11) Cite uma mulher inspiradora, brasileira ou não.   Maria Quitéria.   12) Cite uma mulher inspiradora que exerce ou exerceu um cargo no Poder Judiciário, Executivo ou Legislativo do Brasil, em qualquer esfera (municipal, estadual ou federal).   A ministra Carmem Lúcia.   13) O que diria hoje numa frase a uma mulher que quer ser juíza?   Força e coragem. São vários desafios e renúncias, mas a missão é gratificante.   14) Diga uma frase que a defina como mulher magistrada?   Se não formos corajosas, não seremos livres (Glenn Ford).
20/05/2019 (00:00)

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Notícias

Newsletter

© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia